Top Ad unit 728 × 90

Equação Fácil - A sua primeira aula sobre equações deveria ser assim!

Dicas que podem contribuir para a aprendizagem em Matemática

Não é importante a velocidade com que se realiza um cálculo, seja rápido ou lento, faça no seu tempo; o necessário é ter um procedimento correto e garantir o resultado. Usar a calculadora não é ruim, o ruim é usar a calculadora por não conseguir realizar procedimentos simples de cálculo. Já presenciei muitos alunos de ensino médio com dificuldade em realizar cálculos básicos como subtração ou divisão e que viviam errando cálculos por não conseguirem compreender o ponto e a vírgula da calculadora.

Muitos alunos passam anos numa escola e aproveitam muito pouco do que a envolve. Ele não se envolve, não se propõe a ser aluno, a estudar, a aprender...

Seguem algumas dicas que acredito, podem auxiliar na aprendizagem de matemática e que fazem parte do combinado de minhas aulas de matemática com os alunos. Na verdade estas dicas cabem para o estudo em outras disciplinas. Há ainda uma parcela de contribuição de outros blogs citados nas referências:



# Nunca diga que não consegue resolver, que não entende matemática, etc., ter dificuldade é comum, todos temos habilidades e dificuldades para alguma coisa ou para várias; o importante é dedicar-se àquilo que se propõe a fazer;

# Exercite sua mente, repita procedimentos, o caminho até o resultado vale muito. Vá com calma, resolvendo linha por linha dos cálculos, procurando compreender cada passo;

# Não se sustente apenas com o livro didático e com o conteúdo do caderno; pesquise, leia a teoria com calma, tente compreender as fórmulas para além de letras;

# O momento de explicação de conteúdos e de correção das atividades são imprescindíveis para se aprender, nada de escrever, de conversar, de brincar, ou de qualquer outra distração nestes dois momentos;

# A correção não é para se trocar o exercício feito errado ou para preencher uma atividade não realizada, é um novo momento de aprender, de procurar entender o que ainda não foi entendido e de perceber algo que não tenha sido percebido antes;

# Ao corrigir se você perceber que houve diferença no procedimento, apresente sua resposta, peça que ela seja verificada; lembre-se de que na matemática é possível obter por diferentes procedimentos o mesmo resultado correto;

# Não deixe de realizar as atividades extra classe, procure sempre resolvê-las. Reserve um tempo e um local tranquilo para os estudos. Reveja o conteúdo estudado antes, refaça os exercícios, dedique-se verdadeiramente a estudar;

# Não estude apenas quando é pedido, ou quando há uma avaliação pra agorinha... Estude sempre que sentir necessidade e até mesmo quando não sentir, aquele tempo reservado para estudo não é apenas para as atividades propostas, mas para leituras e pesquisas extras.

# É bom ser independente, mas não pense que você consegue tudo sozinho. Ajude [colega] sempre que tiver compreendido algum conteúdo e peça ajuda sempre que tiver dificuldade em outro conteúdo. O professor deve ser acionado sempre que algo não estiver claro, lembre-se que ele está ali, entre outras tarefas, para lhe ensinar. A ajuda não implica que você irá copiar o exercício ou que vão resolvê-lo pra você;

# Duvide, questione, inquiete-se... a verdade não depende só de quem fala. Em matemática depende de prova, do concreto, e principalmente de que você tenha entendido;

# Não se apresse em resolver algum exercício, leia com calma, vá dividindo-o em partes e procurando compreender o que é pedido. Se preciso leia outras vezes até que consiga compreender o exercício;

# Sempre que possível associe os resultados à situação e avalie se é possível ocorrer o resultado que você encontrou;

# A sua maior preocupação como aluno deve ser se você APRENDEU o conteúdo e não a sua nota para passar. Se você realmente aprendeu, e se aplicou isso nos processos de avaliação do professor sua nota alta será a consequência;

# Por fim, acredite mais em si. Não são as regras que vão garantir sua aprendizagem. Tenha interesse e dedicação. Torne-se responsável pelo que você quer ser!

E aí pessoal, o que acharam do post? Ele é uma ideia em meio à ideia de outro post que me foi sugerido! Obrigado Pedro Rafael pela dica. Sem contar as leituras de referência pela complementação! "Vlw..."

Importante:

Este é um Guest Post (artigo convidado) criado por Charles Lourenço de Bastos, Graduado em Matemática, especialista em Mídias na Educação, professor da Educação Básica e criador do blog de matemática TICs na Matemática.

Referências

[1] Como estudar matemática? [Blog: Fatos Matemáticos] [Atualmente restrito para leitores convidados
[2] Sugestões para melhor estudar matemática. [Universidade Tecnológica Federal do Paraná]
Dicas que podem contribuir para a aprendizagem em Matemática Reviewed by Charles Bastos on 18.1.14 Rating: 5

4 comentários:

  1. Olá Charles
    Dicas extremamente importantes e de grande sabedoria meu amigo. Passando para matar as saudades e deixar o meu carinho. Um magnífico final de semana
    Beijinhos com ternura e afeto
    Gracita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gracita!

      Que bom vê-la prestigiando o Vivendo Entre Símbolos e o Guest Post!

      Todos os anos reforço dicas assim com os alunos, procuro proporcionar ações/situações que possam contribuir para a aprendizagem. Quando organizava o "combinado" deste ano letivo, li alguns posts em outros blogs e reformulei meu texto, chegando nestas dicas...
      Por vezes, nos frustramos, pois não são mais raros os alunos que não se importam em aprender, para eles a escola é um lugar de obrigação, de imposição, de tédio... Temos discutido muito sobre isso, e por vezes sobra ao professor fazer de tudo para reverter tal situação. Seguimos com o que podemos e procurando novos e diferentes meios para proporcionar aprendizagem aos alunos.

      Muito obrigado pela atenção!

      Excluir
  2. Olá, Charles!

    São dicas super importantes e que se colocadas em prática, as chances de sucesso aumentam muito.

    Se me permite, quero deixar mais duas dicas que serão aliadas a todas as outras citadas neste artigo.

    Muita das vezes somos inseguros na hora de realizar algum cálculo e não temos ninguém para nos socorrer. Não podemos ter um professor 24 horas por dia.

    Neste ponto entra a utilização de softwares e aplicativos para dispositivos móveis que auxiliarão no processo de aprendizagem.

    Há aplicativos no Chrome Web Store, Apple Store, Google Play e vários sites para auxiliar estudantes universitários ou de nível fundamental e médio. Eles serão os professores na hora de estudar em casa. O objetivo não é usar os programas para fazer os cálculos, mas sim na hora de corrigir eventuais erros e verificar acertos. Está com uma dúvida com uma equação do 2º grau? Resolva-a manualmente e em seguida verifique com um software específico para esta atividade.

    A segunda dica é: monte um grupo de estudos. Montar grupos de estudos é uma forma prazerosa de estudar com os colegas e amigos da mesma classe, onde uns ajudam os outros naquilo que sentem maior dificuldade. As reuniões podem ser programadas de acordo um cronograma pré-estabelecido, que pode ser usado para melhor distribuição do tempo. O número de estudantes para os grupos de estudos variam de 3 a 7 pessoas. O local deve ser escolhido seguindo alguns critérios. Esses critérios deve-se levar em conta, principalmente, o nível de barulho e o espaço adequado para isso.

    Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Edigley!

      As duas dicas que você inclui são ótimas. Infelizmente os alunos não percebem a quantidade de possibilidade que eles podem utilizar e que antes não tínhamos.

      Tive um projeto ano passado que trabalhava com mídias (principalmente informática), os primeiros encontros até que permitiram algumas iniciativas, mas depois o grupo foi se dispersando, sempre tendo algo para fazer (dormir, academia, passear, etc.). Aquele tempo para estudo eles restringem ao máximo; em verdade, poucos estudam.

      Chegamos a criar um blog, um grupo de estudos, fazíamos encontros semanais no laboratório da escola, mas não implementamos poucas oficinas, os alunos não se interessaram, e os professores que também poderiam se incluir no projeto, só queriam material pronto (aquela história de reproduzir o mesmo com novas ferramentas).

      Obrigado pela contribuição!!!

      Excluir

Todos os direitos reservados por Vivendo entre Símbolos © 2012 - 2017
Criado com o Blogger e Personalizado por Edigley Alexandre

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.